Pular para o conteúdo

A editora prometeu 15% de direitos autorais!

Você escreveu seu livro! Terminou!
Eba!!
Então decidiu mandar seu texto para todas as editoras que encontrou pela frente (haha, pelo menos eu fiz). E veio a resposta de uma editora que não cobra para produzir o livro (so-nho!). E mais: a editora prometeu 15% de direitos autorais! Sendo que o normal do mercado é de 8% a 10%
Eba!, você pensa. Será que sou um super escritor, uma joia rara que só precisa ser descoberta?!
Bom, sem querer estragar a festa, mas preciso informar de que não é bem assim. Se você der uma olhada no contrato, perceberá que a editora pretende pagar 15% de direitos autorais sobre o valor bruto.
Certo, e daí?, você pensa.
As editoras tradicionais, que oferecem normalmente o valor de 10% de direitos autorais, estão calculando esse valor sobre o preço de capa, e não sobre o valor bruto.
Há editoras ainda que oferecem 10% do preço de capa para até 10 mil exemplares vendidos e 8% de 10 mil em diante. Isso não é ilegal e é bem comum no mercado, mas um bom advogado pode te ajudar a conseguir um contrato de 10% independendeda quantidade de livros vendidos. Mas dificilmente paga-se mais do que isso (a não ser é claro que você seja J. K. Rowling, que costuma receber entre 14 e 16% do preço de capa por exemplar vendido). A vantagem a mais que o seu advogado ou agente pode conseguir é um bom adiantamento dos direitos autorais, valor que o auto recebe de uma única vez, mas que depois será descontado de acordo com os livros vendidos, afinal, é apenas um adiantamento.
Sei, mas qual é a diferença?
Vejamos: o seu livro custará para o leitor R$39,90.
Na editora que paga 10% sobre o preço de capa, o que você ganhará como direitos autorais por livro vendido será R$3,99.
Já na editora que paga 15% sobre o valor bruto, o cálculo é outro. Dos R$39,90, 50% normalmente fica com a livraria, e os outros vão para a editora. É daí que ela irá tirar os 15% dos direitos autorais. Ou seja, 15% de 50% de R$39,90. Para facilitar, o autor receberá por exemplar vendido R$2,99.
Opa, então estou perdendo dinheiro?!
Bom, sim e não. Essa prática de oferecer a porcentagem dos direitos autorais sobre o valor bruto em vez do valor de capa é relativamente nova, mas tudo indica que vai ganhar força no mercado.
Por quê?
Porque é a mais justa. Afinal, por que a editora deve pagar sobre um valor que ela não recebe, que fica com a livraria ou distribuidor? Tal prática é sem dúvida mais onerosa para a editora, o que acaba dificultando o lançamento de mais livros de autores estreantes brasileiros.
Agora, se você não se sente capacitado para ler e compreender totalmente o seu contrato de cessão de direitos, eu sempre recomendo que busque um advogado especializado em questões de direitos autorais.